1

Como evitar efeitos negativos dos radicais livres no organismo

Nós produzimos radicais livres no organismo o tempo todo. Eles são moléculas independentes produzidas no decorrer do nosso processo respiratório. Até aqui tudo bem, certo?

A parte boa é que eles atuam junto ao sistema imunológico e podem ajudar no combate a um resfriado, por exemplo. Porém, em excesso no nosso corpo, logo se transformam em vilões, causando efeitos negativos no organismo.

Os radicais livres ​​podem danificar as células, causando doenças, lesões e envelhecimento precoce. Quando nosso corpo não está em equilíbrio, ou seja, se encontra desbalanceado, a tendência é produzir mais radicais livres do que o organismo consegue suportar.

E como combater esse problema? Continue lendo que nós vamos te contar!

O que são radicais livres?

Os radicais livres são átomos instáveis com um elétron de carga negativa que reagem com outros átomos de carga positiva, causando um processo de mutação do DNA das células do corpo.

Sua produção é constante e faz parte do metabolismo, que utiliza o sistema de defesa do organismo para neutralizar a ação prejudicial dos elétrons.

Como já mencionamos, o problema está no excesso de radicais livres no organismo. Os danos causados às células afetam nosso sistema imunológico e o processo degenerativo do corpo, promovendo o envelhecimento precoce das células.

De acordo com o portal Medical News Today, quando as moléculas de oxigênio se dividem em átomos individuais que têm elétrons desemparelhados, eles se tornam radicais livres instáveis ​​que buscam outros átomos ou moléculas para se ligarem. Se isso continuar a acontecer, começa um processo que conhecemos como estresse oxidativo.

De maneira simples, o estresse oxidativo nada mais é do que um desequilíbrio entre agentes oxidantes e antioxidantes, que pode danificar as células do corpo, levando a uma série de doenças. Mas calma, nós vamos falar mais sobre ele daqui a pouco!

Fontes de radicais livres no organismo

Embora sejam produzidos naturalmente no corpo, há fatores relacionados ao estilo de vida de cada um que podem contribuir para acelerar a produção de radicais livres no organismo. Confira alguns deles:

  • Consumo excessivo de álcool;
  • Exposição a produtos químicos tóxicos;
  • Poluição do ar;
  • Má alimentação;
  • Uso do cigarro.

Cuidado com o estresse oxidativo!

O estresse oxidativo é desencadeado pelos fatores que acabamos de mencionar e leva a um grande desgaste físico. Além disso, altera o estado emocional, provocando situações de esgotamento.

Mas é possível prevenir casos de estresse oxidativo. Como? Com estratégias de defesa antioxidante para as células lidarem com a toxicidade do oxigênio. Vamos abordar mais sobre o assunto daqui a pouco!

Danos ao corpo

O estresse oxidativo tem sido associado ao desenvolvimento de diversos distúrbios e doenças degenerativas. Os efeitos podem variar de pessoa para pessoa, pois está relacionado com a saúde do organismo, a qualidade de vida, alimentação e também com a idade do indivíduo.

Conforme publicado no Medical News Today, estudos e teorias têm conectado o estresse oxidativo com:

  • doenças do sistema nervoso central, como Alzheimer;
  • doença cardiovascular devido a artérias obstruídas;
  • distúrbios autoimunes e inflamatórios, como artrite reumatoide e câncer;
  • catarata e declínio da visão relacionada à idade;
  • alterações relacionadas à idade na aparência, como perda da elasticidade da pele e rugas;
  • diabetes;
  • doenças degenerativas genéticas, como a doença de Huntington ou Parkinson.

Como evitar efeitos negativos dos radicais livres 

Os antioxidantes são os principais aliados no combate aos radicais livres. Quem tem uma dieta pobre em antioxidantes pode acabar produzindo radicais livres em excesso.

E é aqui que entra a alimentação: quanto mais colorida, variada e rica em nutrientes, mais seu organismo vai estar preparado para combater esses inimigos tão indesejáveis.

Afinal, o que são antioxidantes?

Antioxidantes são moléculas que impedem a oxidação de outras moléculas. Eles diminuem ou previnem os efeitos dos radicais livres no organismo.

Para combater esses átomos indesejáveis, o organismo necessita de mais substâncias do que aquelas que consegue produzir, principalmente quando estamos com nosso sistema imunológico enfraquecido.

E é na alimentação que encontramos uma fonte rica de antioxidantes em alguns nutrientes, naturalmente presentes ou adicionados nos alimentos. Atrelados ao zinco, as vitaminas e os minerais fortalecem o sistema imunológico, auxiliando no combate a gripes, resfriados e outras infecções.

Alimentos antioxidantes funcionam?

Sim! Muitos alimentos são ricos em antioxidantes. Por isso, especialistas em saúde recomendam uma dieta rica em antioxidantes para combater os radicais livres. Confira a seguir os principais grupos alimentares que devem ser consumidos nestes casos:

  • Zinco: mineral responsável pela ação antioxidante que bloqueia a ação dos radicais livres. Pode ser encontrado na carne, frango, germe de trigo, feijão, ovo, etc.;
  • Betacaroteno: responsável pela regeneração da pele e que melhora a absorção de vitamina A. Pode ser encontrado na gema do ovo, cenoura, mamão, abóbora, etc.;
  • Vitamina C: age dentro das células no combate aos radicais livres e em combinação com a vitamina E atua na estrutura da membrana da célula. Pode ser encontrado na laranja, limão, kiwi, etc.;
  • Vitamina E: age por fora da célula. Pode ser encontrado no azeite, abacate, etc.
  • Licopeno: antioxidante importante para bloquear a ação do radical livre. Pode ser encontrado na melancia, tomate, goiaba, etc.;
  • Selênio: impede oxidações dentro do organismo, mas é necessário cuidar a quantidade consumida, pois em excesso pode ser tóxico. É encontrado no shimeji, salmão, atum (peixes em geral), castanha do pará e demais oleaginosas;
  • Flavonoides: grupo de alimentos eficiente no combate aos radicais livres, é encontrado nos conhecidos blueberries (uva, açaí, vinho);
  • Manganês: bloqueia a ação dos radicais livres e pode ser encontrado em nozes, feijão, amaranto, quinoa, etc.

É bom lembrar que você não deve focar em apenas um grupo de comida. É o conjunto deles que vai fazer a diferença. A combinação certa de determinados alimentos pode ajudar a fortalecer o sistema imunológico.

Suplementar com vitaminas e minerais pode ser uma estratégia a ser utilizada para complementar os nutrientes que a alimentação não conseguir suprir. Uma boa dieta aliada com atividade física é a melhor prevenção contra doenças. E você já está se cuidando? Não esqueça de anotar nossas dicas e aplicá-las!

Deixe um comentário