1

4 fatos sobre doenças autoimunes que você ainda não sabe (e um alerta)

Lúpus, esclerose múltipla, diabetes… Você com certeza já deve ter ouvido falar nessas enfermidades.

Elas são chamadas de doenças autoimunes, pois acontecem quando o corpo passa a atacar indevidamente células saudáveis do corpo.

Dados apontam que cerca de 3 a 5% da população é afetada por doenças autoimunes.

Isso significa que elas são bastante comuns, mas ainda tem muita gente que não sabe o que significam ou como podem ser afetados por esse tipo de patologia. 

Por isso, nós separamos quatro dados sobre doenças autoimunes que você ainda não sabe.

Também deixamos um alerta para todos que buscam um estilo de vida mais saudável e que querem fortalecer o sistema imunológico.

Boa leitura! 

Afinal, o que são doenças autoimunes? 

Para saber o que são doenças autoimunes, é preciso antes compreender para que serve o sistema imunológico.

Ele é uma espécie de “escudo” para o corpo humano, protegendo de bactérias, vírus invasores e células cancerígenas. 

No entanto, às vezes o sistema “confunde” células do próprio organismo com invasores.

Logo, surgiram as doenças autoimunes e hoje a medicina já registrou mais de 80 tipos. 

Enquanto algumas atacam apenas uma área ou órgão, outras afetam um sistema de órgãos ou até mesmo todo o corpo. 

Entre as mais comuns podemos citar:

  • lúpus;
  • artrite reumatoide;
  • doença de Crohn;
  • diabetes tipo 1;
  • esclerose múltipla.

4 fatos sobre doenças autoimunes que você ainda não sabe

Com essas informações em mente, você já tem uma noção geral do que são as doenças autoimunes.

Nós separamos quatro fatos sobre esse tipo de enfermidade para ampliar o seu conhecimento no assunto e ajudar pessoas que lidam com essa realidade. Confira!

1. Estresse pode estar relacionado a doenças autoimunes

Além de estar relacionado a problemas de sono e depressão, o estresse pode ser relacionado a doenças autoimunes

A descoberta vem de pesquisas feitas pela Universidade de Harvard, realizada com 200 mil participantes, alguns com diagnóstico de estresse e outros saudáveis, durante 10 anos.

Aqueles que possuíam algum distúrbio relacionado ao estresse apresentaram 36% mais chance de desenvolver uma doença autoimune. 

No caso de pacientes com distúrbios mais graves, como Transtorno Pós-Traumático (TEPT), a chance é ainda maior, de 46%. 

2. Doenças autoimunes não tem cura

Infelizmente, isso é verdade. Porém, ainda que as doenças autoimunes não tenham cura, seus portadores precisam fazer o tratamento indicado pelo médico. Essas terapias visam: 

  • retomar o funcionamento normal do sistema imunológico;
  • manter a capacidade natural do corpo de combater os antígenos;
  • reduzir os sintomas;
  • controlar o processo autoimune.

3. Lúpus se “disfarça” de outras doenças

Essa é uma das doenças autoimunes mais conhecidas, principalmente depois que as cantoras e atrizes Selena Gomez e Lady Gaga assumiram que têm a doença. 

Mesmo sendo conhecida desde a Idade Média, lúpus ainda confunde a cabeça de muitos profissionais da saúde.

Essa doença pode afetar qualquer parte do corpo. Por isso, em alguns casos, os médicos acabam confundindo seus sintomas com os de outras doenças.

Essa não é a única questão não explicada de lúpus. Por exemplo: sabe-se que a maioria das vítimas (90%) são mulheres e que 80% delas desenvolvem a doença na fase mais produtiva da vida, entre os 15 e os 45 anos. No entanto, ninguém sabe o porquê dessa incidência.

4. Doenças autoimunes podem estar relacionadas a bactérias intestinais

Nada foi confirmado, porém pesquisadores da Universidade de Yale podem estar perto de uma descoberta importantíssima envolvendo as doenças autoimunes

Os cientistas relacionaram as reações autoimunes com uma bactéria intestinal chamada Enterococcus gallinarum.

Eles analisaram as bactérias intestinais de ratos para descobrir quais causavam inflamações ou estavam envolvidas na produção de anticorpos conhecidos por promover respostas autoimunes. A resposta? Enterococcus gallinarum.

As boas notícias não param por aí. Os pesquisadores também conseguiram reduzir os sintomas autoimunes através de antibióticos ou vacina.

Logo, o objetivo é que essa pesquisa evolua para o desenvolvimento de curas para as doenças autoimunes.

Atenção: reforçar o sistema imunológico pode prevenir as doenças autoimunes

O sistema imunológico deve ser fortalecido para prevenir o surgimento de enfermidades como doenças autoimunes e para combater aquelas que já se manifestaram. 

A principal recomendação é comer alimentos ricos em vitaminas e minerais, diminuir o consumo de produtos industrializados e praticar exercícios físicos leves ou moderados de forma regular. Estresse, cigarros e bebidas alcoólicas também devem ser evitados.

Suplementos podem auxiliar no aumento da imunidade, entre eles, a Green Gem Chlorella Sorokiniana.

Prevenindo doenças com suplementos naturais

A microalga verde serve como um complemento alimentar natural para prevenção de doenças, além de ter funções nutritivas. 

Estudos in vitro (ou seja, em ambientes controlados) demonstraram os efeitos benéficos da Chlorella na modulação de respostas imunes.

Isso porque o consumo diário da microalga implica no aumento de Interferon gamma (INF-γ).

Essa substância tem papel crucial dentro do organismo: transformar as células “comuns” em antivirais, tornando-as aptas para evitar infecções. 

Quando o organismo é invadido por vírus ou bactérias e as células recebem o seu estímulo, há a produção de Interferon.

Essa substância, por sua vez, age sobre as outras células para alterá-las a fim de inibir a proliferação do vírus. 

Ou seja, o Interferon não age sobre o vírus e sim sobre as células e tecidos, conferindo-lhes a força para lutar contra o invasor.

No entanto, o ambiente da vida do homem moderno está impedindo a capacidade produtora de Interferon.

Por isso é tão importante contar com suplementos como a Green Gem CGF, o fator de crescimento da Chlorella Sorokiniana, para garantir a presença da substância no organismo e assim prevenir o surgimento de doenças autoimunes

Muitas doenças autoimunes não podem ser evitadas, mas isso não significa que você não deve proteger o seu corpo de possíveis enfermidades. 

A boa notícia é que esse reforço na saúde pode ser feito com o auxílio dos alimentos certos.

Afinal, o que ingerimos ao longo do dia influencia em muito mais do que o nosso peso.

Uma dieta adequada pode ser a diferença entre o desenvolvimento de uma doença crônica e uma vida vigorosa e saudável.

Clique aqui para saber mais sobre a saúde naturalista e como esse estilo de vida só traz resultados positivos!

Benefícios da Chlorella para o organismo

Deixe um comentário