1

O que você sabe sobre Ômega-3?

É bem provável que você já tenha ouvido falar do Ômega-3. Essa gordura é muito associada ao consumo de peixes e traz uma série de benefícios para o corpo. 

No entanto, não precisa se preocupar: quem segue uma dieta vegetariana ou vegana também pode consumir o nutriente. 

A Paversul preparou um conteúdo completo sobre o que é o Ômega-3, quais são suas verdadeiras vantagens e como garantir sua ingestão:

O que é o Ômega-3?

O Ômega-3 é, na verdade, o nome de uma família de gorduras poli-insaturadas – as benéficas para o corpo humano. No entanto, não somos capazes de produzir esse nutriente de forma natural, então é preciso garantir sua ingestão por meio da alimentação ou da suplementação.

Apenas seres do reino vegetal conseguem produzir essa gordura. Mais especificamente, os zooplânctons e as bactérias. Assim, “cai” o mito de que os peixes produzem esse nutriente. O que acontece é que eles absorvem a gordura da alimentação, que tem como base esses organismos.

 Existem três tipos de Ômega-3:

  • ácido docosahexaenoico (DHA): encontrado principalmente nos peixes de águas geladas, como o salmão,
  • ácido eicosapentaenoico (EPA): contido nos peixes,
  • ácido Alfa-Linolênico (ALA): gordura de fonte vegetal encontrada em algas, oleaginosas, linhaça e chia,
  • ácido estearidônico: disponível em forma de suplemento, estando presente nos óleos de prímula, borragem e echium. 

Quais são os benefícios do Ômega-3?

Nas aulas de Biologia, aprendemos que o corpo precisa de doses diárias de gordura para estimular funções essenciais, como a manutenção da temperatura do corpo e a formação de hormônios. 

No entanto, isso não vale para todos os tipos. Algumas possuem o efeito contrário, trazendo mais prejuízos do que benefícios para nossa saúde. É o caso das gorduras trans e saturadas, que podem causar obesidade, elevação da pressão arterial e entupimento das artérias. 

O Ômega-3 serve para “combater” esses processos. Além disso, sua ação anti-inflamatória previne o surgimento de doenças crônicas provocadas por estresse, falta de atividade física e dieta desequilibrada.

Outro benefício desse nutriente está no controle da glicemia. O seu consumo regular está ligado à redução dos níveis de açúcar no sangue por melhorar a resistência à insulina. Assim, pode ser um importante aliado no tratamento do diabetes tipo 2. 

Por fim, esse nutriente é de extrema importância para o funcionamento cerebral. Saiba que 60% do cérebro é constituído por gordura, especialmente Ômega-3. Logo, a deficiência dessa substância pode estar associada a uma menor capacidade de aprendizado ou retenção de informações. 

Dessa forma, seu consumo pode reduzir a perda de memória e a dificuldade de raciocínio lógico. Alguns estudos já associaram a ingestão do nutriente com menor risco de desenvolvimento do Alzheimer — no entanto, essa ligação ainda não foi comprovada.

Como consumir Ômega-3?

Com tantos benefícios cruciais para o corpo, o consumo de Ômega-3 é obrigatório. Como esse nutriente não é produzido naturalmente pelo nosso organismo, precisamos encontrar fontes externas para alcançar a quantidade diária recomendada.

Esse dado, inclusive, varia de acordo com a idade e gênero: 

  • bebês de 0 aos 12 meses: 500 mg,
  • crianças de 1 a 3 anos: 700 mg,
  • crianças de 4 a 8 anos: 900 mg,
  • meninos de 9 a 13 anos: 1200 mg,
  • meninas de 9 a 13 anos: 1000 mg,
  • homens adultos e idosos: 1600 mg,
  • mulheres adultas e idosas: 1100 mg,
  • gestantes: 1400 mg,
  • lactantes: 1300 mg.

É muito importante se atentar a esses dados e encontrar a fonte de Ômega-3 que melhor se encaixa na sua realidade: 

Peixes 

Como vimos anteriormente, os peixes têm sua base alimentar proveniente dos zooplânctons. Logo, o consumo desse animal ajuda na ingestão do nutriente. Se possível, dê preferência para aqueles que vivem em águas geladas e profundas, como o salmão. Esse tipo de peixe consegue maior quantidade de Ômega-3, pois precisam de muita energia para manter a temperatura corporal.

Chlorella

Essa é a melhor alternativa para quem busca suplementos vegetais. A Chlorella é conhecida principalmente pela sua alta concentração de proteínas e outros nutrientes essenciais para o corpo humano. 

Menos de 6% do peso da alga seca é gordura e 50% dessa gordura é Ômega-3 e 6. Assim, garante o consumo dessa gordura para o bom funcionamento do organismo. 

Existem diversos modos para consumir a microalga, incluindo suplementos. A Paversul tem em seu portfólio opções em cápsulas que facilitam a ingestão da Chlorella e de todos os seus benefícios. Clique aqui e saiba mais.

Oleaginosas

Por fim, temos as oleaginosas. Produtos como castanhas, nozes e amêndoas possuem grande concentração da substância. Além de serem fonte de Ômega-3, esses alimentos são ricos em vitaminas e minerais. Também são fontes de fitoesteróis — uma molécula parecida com o colesterol. Assim, ajuda o corpo a absorver o colesterol “bom” e a diminuir o “ruim”. 

Aproveite essas dicas para conversar com seu médico sobre como introduzir o consumo de Ômega-3 na sua rotina. Se quiser algo prático e 100% natural, a Chlorella é uma das melhores opções do mercado. Clique aqui para descobrir o fornecedor mais próximo de você.

Deixe um comentário